Notícias  
 
 
/////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
24/6/2020 - / Por
 
STF proíbe corte de salários de servidores por Estados e municípios endividados

 

O Supremo Tribunal Federal (STF) julgou, nesta quarta-feira (24/06), o ADI nº 2238, que questionava trecho da Lei de Responsabilidade Fiscal (parágrafos 1º e 2º do artigo 23). 

Por 7 votos contra 4, em decisão favorável aos servidores, os ministros invalidaram o corte de salários de servidores públicos com redução de carga horária. A vitória aos servidores está em conformidade com o artigo 37 da Constituição que prevê a irredutibilidade dos salários. Isso torna inconstitucional a aplicação do dispositivo da LRF caso a administração pública estoure os limites com gastos de pessoal. A decisão vale para estados, municípios e união.

Ao longo da tramitação da ação, desde 2000, outros três processos foram protocolados.
O texto original da legislação – e impedido por liminar expedida em 2002 – dizia que caso o limite de despesa com pessoal estivesse acima do teto, ficaria facultado aos governadores e aos prefeitos, assim como aos poderes autônomos, a redução proporcional dos salários dos servidores de acordo com a carga horária de trabalho.

Para o FOSPERJ, a decisão protege o funcionalismo dos governadores e prefeitos que querem usar as medidas de forma ardil. Ao invés de assumirem as responsabilidades por suas gestões, optam pelo injusto caminho de transferir o problema aos servidores para que paguem as contas da crise financeira.

Essas medidas, previstas na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), já não eram aplicadas por força de uma liminar concedida em 2002. O julgamento do Supremo traz um desfecho definitivo.

 
/////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
 
 
 
 
.
.
Últimas Notícias >>>
.
 

08/07/2020
FOSPERJ realiza reunião com o presidente da Alerj e deputados de comissões importantes
SAIBA MAIS >>>

07/07/2020
Rioprevidência faz nova operação questionável e afirma que irá garantir o pagamento de aposentadorias até o fim do ano
SAIBA MAIS >>>

07/07/2020
FOSPERJ se reúne com o presidente da Alerj em busca de ponte com o Executivo
SAIBA MAIS >>>

29/06/2020
O Dia - Servidores reafirmam posicionamento contrário à volta ao trabalho presencial
SAIBA MAIS >>>

26/06/2020
Flexibilização da quarentena e conjuntura de impeachment marcam reunião do FOSPERJ
SAIBA MAIS >>>

26/06/2020
Carta Aberta das entidades de classe de servidores do Rio de Janeiro em proteção à vida
SAIBA MAIS >>>

24/06/2020
FOSPERJ envia ofício ao Governo do Estado e cobra regulamentação dos consignados
SAIBA MAIS >>>

24/06/2020
STF proíbe corte de salários de servidores por Estados e municípios endividados
SAIBA MAIS >>>

23/06/2020
No mês que o serviço público completa 6 anos sem recomposição, Witzel nega diálogo com as categorias e ainda ameaça atrasar salários
SAIBA MAIS >>>

19/06/2020
Senado aprova suspensão de consignados por 120 dias
SAIBA MAIS >>>