Notícias  
 
 
/////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
30/4/2020 - FOSPERJ / Por
 
Governo e Senado querem congelamento de salários dos servidores

 

Está em discussão no Senado o Projeto de Lei Complementar, PLP nº 149/2019, chamado de Plano Mansueto, que prevê auxílio fiscal a estados e municípios. O projeto foi aprovado na Câmara dos Deputados, sem nenhum trecho em menção ao congelamento de salários dos servidores públicos por dois anos.
 
No entanto, ao chegar ao Senado, o presidente da casa, o Senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), escreveu um substitutivo ao PLP, em que, no Art. 8º, incisos I e IX, congela os salários dos servidores até 2021 e proíbe a contagem do período aquisitivo necessário para a concessão de anuênios, triênios, e demais mecanismos.  

Os salários de servidores municipais, estaduais e federais ficaram em risco após reunião entre o ministro da Economia, Paulo Guedes, e Alcolumbre. Nos próximos dias, estão previstas outras discussões com membros do Governo Federal para costurar uma proposta até a votação realizada no próximo sábado (02/05) em sessão virtual. Se aprovada, a medida volta para a Câmara para nova análise da versão substitutiva.
 
Por isso, as articulações também já estão sendo feitas com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Como argumento, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, declarou que o substitutivo cobra que “o setor público também tem que dar a sua parcela”.

O FOSPERJ - Fórum dos Servidores Públicos do Estado do Rio de Janeiro tem sido combatente às recorrentes tentativas de colocar o servidor público como alvo para pagamento da conta da crise sanitária causada pelo novo coronavírus.

O Fórum alerta que, além do congelamento, outras medidas que atingem o funcionalismo podem estar no bojo dessa nova proposta, conforme a original previa, com irreparáveis perdas de direitos de servidores estaduais e municipais, como unificação de regimes jurídicos com a perda da licença-prêmio, à qual o servidor efetivo tem direito a cada cinco anos.
 
Esta medida, para a saúde pública estadual, fere ainda mais um quadro que já está chegando a 56% da vacância dos cargos previstos em lei. Estamos falando de cargos de servidores que estão diretamente ligados ao enfrentamento da pandemia: profissionais da saúde, vigilância epidemiológica e sanitária, e toda assessoria técnica do Governo.
 
Ainda há riscos da inclusão dos aposentados e pensionistas na despesa com pessoal dos entes públicos. Essa já é uma determinação do Tesouro Nacional, mas com prazo para a obrigatoriedade a partir de 2021. Quando isso ocorrer, praticamente todos os órgãos vão estourar seus limites de gastos estipulados pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), acarretando em demissão de comissionados e proibição de promoções, de reajustes e de concursos.
 
Manobras como essa dão sequência ao desmonte do serviço público, já em curso no país, e atende aos objetivos do ministro Paulo Guedes que insiste em atacar os servidores e enfraquecer os serviços públicos.

O PLP que saiu da Câmara, sem medidas danosas aos servidores, prevê ajuda federal aos estados e municípios para repor as perdas projetadas com impostos em decorrência da pandemia, tendo como base o orçamento de 2019.
 
É importante lembrar que o governo anunciou que irá destinar R$ 1,2 trilhão para ajudar os bancos durante pandemia do novo coronavírus. Ou seja, o discurso sobre a necessidade de recursos é apenas uma distração. O intuito é enfraquecer os serviços públicos e retirar direitos dos servidores de todas as esferas.
 
No caso dos servidores do Rio de Janeiro os impactos são ainda mais sérios. Já que o Estado vive um cenário trágico e sem reposição salarial desde 2014. A defasagem salarial se aproxima dos 40%.
 
O FOSPERJ requisitou recentemente que, assim que se encerre a crise da pandemia, possa negociar com o governador Wilson Witzel (PSC). Caso o Senado aprove as alterações propostas no Plano Mansueto do governo Bolsonaro, esta luta será gravemente afetada.

O FOSPERJ encabeça mais essa luta em defesa dos direitos do funcionalismo e convoca as bases de todas as entidades integrantes para uma intensa mobilização junto ao relator do processo no Senado, o senador e presidente da casa Davi Alcolumbre e todos os parlamentares do Senado por meio do site do FOSPERJ. 

PRESSIONE OS SENADORES AQUI:  http://www.fosperj.com.br/senadores

 
/////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
 
 
 
 
.
.
Últimas Notícias >>>
.
 

03/06/2020
Retomada das atividades presenciais só deve acontecer se for seguro aos servidores
SAIBA MAIS >>>

02/06/2020
FOSPERJ cobra de Witzel a regulamentação dos consignados
SAIBA MAIS >>>

28/05/2020
Servidor público paga a conta da ajuda do governo aos estados
SAIBA MAIS >>>

27/05/2020
Conferência online do FOSPERJ traça estratégias de luta em defesa dos servidores
SAIBA MAIS >>>

22/05/2020
FOSPERJ pede regulamentação do Governo para Lei dos Consignados
SAIBA MAIS >>>

20/05/2020
O Dia - Servidores do Rio vão denunciar Guedes na Comissão de Ética da Presidência da República
SAIBA MAIS >>>

19/05/2020
NOTA DE REPÚDIO: Ataques do ministro Paulo Guedes ao serviço público não serão tolerados
SAIBA MAIS >>>

13/05/2020
Alerj aprova suspensão de consignados por 120 dias e FOSPERJ garante emendas para desconto sindical e proibição de juros
SAIBA MAIS >>>

13/05/2020
Conferência online do FOSPERJ traça estratégias de luta em defesa dos servidores
SAIBA MAIS >>>

12/05/2020
FOSPERJ apoia: 12M - Dia Internacional da Enfermagem. Dia de unificar a luta dos trabalhadores da saúde!
SAIBA MAIS >>>